Pesquisar este blog

Follow by Email

Total de visualizações de página

segunda-feira, 15 de junho de 2015

SÍNDROME DO DESFILADEIRO TORÁCICO


Observações Importantes 

O tratamento fisiátrico nunca deve durar menos de 3 meses e deve ser contínuo. Na falha de um tratamento bem supervisionado, há indicação de avaliação cirúrgica.
Reeducação Postural Global (RPG) não está indicada, pois não há comprovação científica do método.
Na presença de anomalia como a costela cervical e sem melhora com o tratamento conservador, a cirurgia deve ser considerada, mas levando-se em conta que a percentagem de êxito é bastante variável, com ocorrência de complicações bastante significativas.
A ocorrência de comprometimento vascular constante e grave impõe uma consulta imediata com o especialista vascular.


Leia Mais: Síndrome do Desfiladeiro Torácico | ABC da Saúde http://www.abcdasaude.com.br/medicina-interna/sindrome-do-desfiladeiro-toracico#ixzz3d9O3jnyZ 
(c) Copyright 2001-2014 - ABC da Saúde Informações Médicas Ltda 




A síndrome do desfiladeiro torácico acontece quando os nervos ou os vasos sanguíneos que estão entre a clavícula e a primeira costela ficam comprimidos, provocando dores no ombro ou formigamento nos braços e mãos, por exemplo.

Normalmente, a síndrome do desfiladeiro torácico é frequente em pacientes que sofreram um acidente de carro ou lesões repetitivas no tórax, mas também se pode desenvolver em grávidas, reduzindo ou desaparecendo após o parto.

A síndrome do desfiladeiro torácico tem cura através da cirurgia, no entanto, existem outros tratamento que ajudam a controlar os sintomas, evitando a cirurgia.

Síndrome do desfiladeiro torácico
Compressão dos nervos e vasos sanguíneos
Síndrome do desfiladeiro torácico
Sintomas da síndrome do desfiladeiro torácico
Como tratar a síndrome do desfiladeiro torácico

O tratamento para a síndrome do desfiladeiro torácico deve ser orientado por um ortopedista e, normalmente, é iniciado com a ingestão de anti-inflamatórios, como Ibuprofeno e Diclofenaco, ou analgésicos, como o Paracetamol, para aliviar os sintomas nos momentos de crise. Além disso, é recomendado fazer fisioterapia para fortalecer os músculos e melhorar a postura, evitando o surgimento desses sintomas.

Nos casos mais graves, em que os sintomas não desaparecem com o uso de remédios ou fisioterapia, o médico pode aconselhar a cirurgia vascular para descomprimir os vasos e nervos afetados.

Sintomas da síndrome do desfiladeiro torácico

Os sintomas da síndrome do desfiladeiro torácico podem incluir:

Dor no braço, ombro e pescoço;
Formigamento ou queimação no braço, mão e dedos;
Dificuldade para movimentar os braços;
Mãos e dedos roxos ou brancos;
Inchaço do braço;
Os sintomas do desfiladeiro torácico também podem surgir em casos de hérnia cervical ou de síndrome da costela cervical, por isso, é importante consultar um ortopedista para fazer o diagnóstico correto com o teste de Adson e exames de raio X, iniciando o tratamento adequado, caso seja necessário.

Saiba mais sobre a síndrome da costela cervical.

Exercícios para síndrome do desfiladeiro torácico

O exercícios para síndrome do desfiladeiro torácico ajudam a descomprimir os nervos e os vasos sanguíneos junto do pescoço, melhorando o fluxo de sangue e aliviando os sintomas do paciente. É recomendado consultar um fisioterapeuta antes de fazer os exercícios, adaptando-os a cada caso.

Exercício 1
Inclinar o pescoço para lado o máximo possível e ficar nesta posição durante 30 segundos. Depois fazer o mesmo exercício para o outro lado e repetir 3 vezes.

Exercício 2
Esticar o braço direito para o lado e dobrar a mão para baixo, encostando-a contra uma parede. Depois inclinar o pescoço para o lado esquerdo e ficar nesta posição durante 30 segundos. Trocar de braço e inclinar a cabeça para o outro lado, repetindo este exercício 3 vezes.

Exercício 3
Ficar de pé, colocar o peito para fora e depois puxar os cotovelos para trás o máximo possível. Ficar nesta posição durante 30 segundos e repetir o exercício 3 vezes.



Nenhum comentário:

Postar um comentário